INÍCIO
NOTÍCIAS
PERFIL SÓCIO-ECONÔMICO
ORIGEM DO BAIRRO
HISTÓRIA DO BAIRRO
POR DENTRO DO BAIRRO
MEMÓRIA HISTÓRICA
EXPANSÃO URBANA
LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA
LEGISLAÇÃO GERAL
NOSSO PATRIMÔNIO TOMBADO
NOSSO PATRIMÔNIO
PRESERVADO E TUTELADO
ÓRGÃOS PÚBLICOS
SOLICITAÇÃO DE DEMOLIÇÃO
ESPAÇOS CULTURAIS
REDE BOTAFOGO DE CULTURA SOLIDÁRIA
GALERIA DE FOTOS
HISTÓRICO
ESTATUTO SOCIAL
DIRETORIA
ATAS DAS REUNIÕES
RELATÓRIO DE GESTÃO
DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS
AÇÕES JUDICIAIS
CAMPANHAS E EVENTOS
PROPOSTAS E PROJETOS DA AMAB
VÍDEOS
INSCRIÇÃO PARA ASSOCIADOS
EDIÇÕES ANTERIORES
ANUNCIE NO MANEQUINHO
SERVIÇO DENTÁRIO
TELEFONES ÚTEIS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
« voltar
A prefeitura acabou com o feriado carioca
Data: 22/04/2010
Fonte: Jornal do Brasil
Autor: Marcus Quintanilha


Foto de Vitor Silva, capturada no JB Online.

Em vez de proporcionar um feriado de lazer para a população da Zona Sul, a Prefeitura do Rio de Janeiro preferiu autorizar mais um caos no trânsito, sem qualquer tipo de planejamento ou compensação para os cidadãos cariocas.

Já não basta o suplício do carioca em seu cotidiano de violência, sujeira, descasos com a saúde pública e congestionamentos por toda parte? A propósito, os engarrafamentos da cidade, na maioria das vezes, são "fabricados" pela falta de transporte público, pela ausência e incompetência no controle e gerenciamento de trânsito, pela falta de sincronia dos sinais de trânsito e pela impunidade generalizada para as bandalhas dos ônibus, vans e caminhões de carga.

Os jornais estão noticiando que o evento evangélico dessa quarta-feira, que causou todo esse caos, reuniu cerca de 1 milhão de pessoas na Enseada de Botafogo e provocou um verdadeiro nó no trânsito na Zona Sul, com reflexos até o Centro do Rio. E pior, a prefeitura assumiu a responsabilidade por ter autorizado o evento, mas culpou os organizadores, que teriam dado “informações incorretas” sobre a quantidade de ônibus que trariam os evangélicos de vários pontos do estado.

Será que as desculpas da prefeitura compensarão os prejuízos daqueles que perderam vôos no Santos Dumont, que chegaram atrasados em seus trabalhos, que sofreram nos congestionamentos, que foram assaltados nesses mesmos engarrafamentos, que tiveram atendimento médico prejudicado dentro de ambulâncias ou, simplesmente, não conseguiram aproveitar traquilamente o feriado?

O comandante do 2º BPM (Botafogo) foi veemente ao criticar a prefeitura por autorizar o evento da Igreja Universal, visto que, segundo a reportagem do JB, ele afirmou ter alertado a 4ª Região Administrativa e a Subprefeitura da Zona Sul sobre o possível colapso que a região poderia sofrer com a presença dos cerca de 2.500 ônibus que transportaram os fiéis até a Enseada de Botafogo.

A revolta com a prefeitura é geral. Eu gostaria de saber o que aconteceria se uma falha de planejamento dessa envergadura e conseqüências tivesse ocorrido dentro de uma empresa privada ou numa prefeitura de uma cidade de Primeiro Mundo. Será que bastaria o gerente geral se desculpar e tudo bem? Não tenho dúvida que haveria demissões em massa e punições aos culpados. Mas aqui basta uma nota da prefeitura de desculpas e daqui a pouco o fato cai no esquecimento, e estamos prontos para outra barbaridade desse porte.

Lamentavelmente, o povo carioca sofre calado e deixa tudo pra lá. Como podemos admitir uma simples nota da prefeitura dizendo apenas “Não dimensionamos corretamente o evento ...”? Como podemos aceitar o secretário de Ordem Pública dizer nos jornais que “soube do evento apenas pelos jornais”? Como podemos engolir que o secretário municipal de transportes e o presidente da CET-Rio não tenham se antecipado aos fatos? Como podemos ficar calados diante de mais esse “show” da prefeitura? Com a palavra o cidadão carioca.

 

COMENTÁRIOS:


JOAO HENRIQUE enviou em 22/04/2010 as 12:51:
inacreditável! alias, eventos desse tipo não deveriam ser realizados na orla, pois só acarretam prejuízo para a população. Eventos desta grandeza tem que ter um lugar mais apropriado do que a orla. Será que teremos a mesma desorganização para o evento aeronáutico que ser realizado na zona sul?

 
irma enviou em 22/04/2010 as 17:31:
É uma barbaridade! Deveríamos ir às ruas protestar e cobrar uma indenização! Engraçado que nenhuma autoridade mostra a cara nessas horas e a culpa acaba sendo nossa, afinal estamos consentindo essa falta de respeito.
 

Jan Kruger enviou em 23/04/2010 as 07:51:
Engraçado também que NINGUÉM tem coragem de culpar a Igreja, que é tão culpada quanto a prefeitura pois sub estimou o numero de pessoas esperadas. Se o evento tivesse as 100 mil pessoas prometidas não haveria o caos gerado. /
www.caoscarioca.com.br


Rubens Freitas enviou em 23/04/2010 as 09:37:
Faz-se de tudo para não perder votos...
 

Henrique Hübner enviou em 23/04/2010 as 11:29:
Acerca do pedido de desculpas feito pelo prefeito, me reservo o direito de responder se aceito somente no dia da próxima eleição. Por outro lado, a autorização para a realização desse evento religioso, além do evidente prejuízo urbanos aferido, fere o princípio constitucional da separação da religião como o Estado, uma vez que o feriado laico de 21 de abril é destinado à evocação dos valores de cidadania e nacionalidade, que acabaram sendo sobrepostos pelo “Bispo”! Para se ter idéia do disparate de tal situação, cabe imaginar se o mesmo evento fosse autorizado e realizado no dia 7 de setembro! Simples assim. Tudo isso faz parte do contínuo desmazelo e demérito com que se está descontraindo os valores na nossa sociedade.


Carlos Elísio enviou em 23/04/2010 as 12:46:
Conforme veiculado na imprensa, o ILMO prefeito mencionou em conversas reservadas: São 1 milhão de votos! Esperto o rapaz não?


jorge domingos enviou em 23/04/2010 as 13:17:
Neste dia todo o Rio da Zona Sul até a Zona Oeste está com transito ruim provocado pela procissão, se tem que proibir tem que ser para todos, quando evento dos políticos que vão para Candelária falar mentira, ninguém fala nada não cobra nada, só quando evento e de uma religião que não é catolicismo para isso tem ter autorização do papa.


flavio araujo enviou em 24/04/2010 as 00:33:
O evangélico também é carioca e tem o direito de se reunir onde quiser, não admito essa tese de a igreja ser a culpada! a grande culpada é sem dúvida a prefeitura. Esse evento foi realizado em outros estados e não teve o mesmo problema. E aí o que me dizem?


Gloriam Vanine Guenzburger enviou em 24/04/2010 as 01:06:
Foi o milagre dos ônibus, eram para ser 1500, o Bispo transformou em 4000. Vamos todos receber um carnê do "Meu lote no céu, minha vida eterna".


LIANE TAVARES enviou em 24/04/2010 as 08:16:
O RJ ESTA SENDO TRANSFORMADO EM ANTRO DE FANÁTICOS E ASSALTANTES E TRAFICANTES..CHORA MEU RIO EX CIDADE MARAVILHOSA DE RIO DE JANEIRO, VIRASTE RIO CEAREIRO!!


LIANE TAVARES enviou em 24/04/2010 as 08:18:
O povo carioca alem de ter sua cidade invadida, ainda tem que aturar o fim de seu lazer.. Fanatismo tomou cont da EX CIDADE MARAVILHOSA!
 

LIANE TAVARES enviou em 24/04/2010 as 08:19:
E LEI DO SILENCIO? LEI DA MORDAÇA? DITADURA COMUNISTA? ATÉ AQUI? JÁ NÃO BASTA A DO JG??


Niti enviou em 24/04/2010 as 09:03:
Vocês escutaram algum pronunciamento de algum Vereador? O que fazem esses senhores na Câmara Municipal "representantes do povo carioca"? a não ser beijar as mãos do Prefeito!!!


Sergio enviou em 24/04/2010 as 10:16:
O destaque que se dá a esse fato é impressionante! É claro que houve um erro no dimensionamento do evento, mas não vamos aqui explorar isso contra os evangélicos e tratá-los como criminosos como o outro jornal "global" o faz!


Carioca indignado enviou em 24/04/2010 as 11:13:
Pô cara a Prefeitura tinha que acabar é com o feriado. Vá ter feriado assim na China. Ninguém aguenta isso. O comércio perde, a semana fica interrompida, tudo pára. Pô pelo amor de Deus , feriado tem que ser os tradicionais, mas todo ano acrescentam um. É são Jorge, é Zumbi, é isso , é aquilo. Chegaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.


maria enviou em 24/04/2010 as 12:26:
O caos se instalou. Sinais de trânsito foram desrespeitados. Milhares de ônibus foram estacionados irregularmente (até sobre a faixa de pedestres em frente ao Instituto Benjamin Constant). "Obreiros" tomaram o lugar da Guarda Municipal e ameaçavam multar os motoristas que reclamavam . A Guarda Municipal não atendia ao 153. E agora, após o acontecimento começam a aparecer os fins eleitoreiros, as denuncias das associações de moradores que tentaram sem sucesso evitar o óbvio. Pobre povo brasileiro. Um país onde só funciona bem o que tem por objetivo cobrar ...impostos, multas (mesmo indevidas) etc...


christina marins enviou em 24/04/2010 as 12:29:
E pior, dentro de poucos dias, haverá um show aéreo, no mesmo local. Além de ser uma temeridade, termos aviões em alta velocidade sobre nossas cabeças - o risco de um acidente de grandes proporções é real, ficaremos mais um final de semana sem poder sair de casa, presos a congestionamentos e atemorizados por arrastões. Neste dia D (desorganização, descompromisso, desordem.....) houve vários arrastões, sujeira de todo tipo, barulho e buzinaço até tarde da noite. É justo que pessoas não consigam se locomover dentro da cidade, em função da "privatização" de um espaço público, ainda mais com óbvias intenções eleitorais? Foi um tiro no pé.....


Mauro Pires de Amorim enviou em 24/04/2010 as 13:20:
Eventos desse tipo servem apenas para mostrar o despreparo das administrações públicas na gestão de grandes municípios e complexos urbanos como o Rio de Janeiro e os municípios adjacentes que o cercam e fazem parte desse complexo urbano, consistindo uma verdadeira megalópole. A melhor e mais lógica solução seria a difratação de eventos como esse, ou seja, ao invés de reunirem num só local a imensa multidão, realizarem simultaneamente em várias localidades eventos coordenados, da mesma forma que fazem com a festa de virada do ano ou Reveillon, pois assim seria mais cômodo para os participantes de tais eventos e para os moradores da localidade onde se realizam. Existem diversos estádios de futebol e outros locais similares que podem oferecer mais conforto e infraestrutura para a realização simultânea e coordenada de eventos desse tipo, não apenas no Rio de Janeiro, mas em diversos municípios. Portanto o que assistimos foi a junção do despreparo da administração pública do município do Rio de Janeiro, sob comando do Sr. Eduardo Paes, com a megalomaníase desenfreada dos organizadores, no caso a Igreja Universal do Reino de Deus, sob comando do Sr. Edir Macedo, pois em ambos os casos, tanto a administração pública, como a administração privada provocaram uma situação caótica, descontrolada e pouco civilizada, ainda que o evento tivesse a intenção religiosa e o "preparo para o Reino de Deus".


Alexandre Santos enviou em 24/04/2010 as 20:17:
O poder é evidente. As igrejas evangélicas manejam grande parcela do eleitorado e por isso não há como detê-las. Pastores surrupiam diariamente verdadeiras fortunas dessa população que, carente do apoio do estado ausente, confiam no discurso da salvação dizimista. Eduardo Paes foi eleito devido uma manobra do governador Sergio Cabral, que alterou uma data de feriado possibilitando que os eleitores de Gabeira, de maior poder aquisitivo, viajassem, sem votar. Naquele fim de semana 900 mil pessoas saíram da cidade e Gabeira perdeu por 40 mil votos de diferença. Agora, senhores da zona sul, que viajaram, aturem a pobrada e seu poder destrutivo e desorganizado. E vem aí Garotinho outra vez. O último a sair, por favor, apague a luz do aeroporto.
 

V.Carlos enviou em 24/04/2010 as 20:21:
Tudo isso é culpa da omissão do próprio povo carioca. É isso que dá eleger candidatos sem compromissos com a cidade. Tanto faz se o transtorno é político ou religioso. O que importa é que ambos são mídias, onde verbas são utilizadas, sem qualquer restrição. Para estes abutres? tanto faz se a população aprova ou não, estes tipos de eventos.


Marcus Quintella enviou em 24/04/2010 as 23:42:
Prezados leitores, gostaria de deixar claro que os problemas causados pelo mega evento da última quarta-feira não podem ser atribuídos ao tipo de evento, visto que qualquer tipo de evento desse porte causaria o mesmo caos. Parece que haverá aquela "corrida" de aviões no mesmo local, que, certamente, causará os mesmos problemas, caso não sejam tomadas medidas planejadas e competentes de controle de trânsito. Na realidade, aquele local não é apropriado para mega eventos, que deveriam ser realizados na região do Recreio ou Barra, no espaço do autódromo ou do Rock in Rio. Mesmo nesses locais, há a necessidade de planejamento e controle de trânsito. Abs.


Ana Lucia enviou em 25/04/2010 as 00:26:
O que ninguém está falando, mas quem foi a tal evento comentou foi: Evento totalmente político, do início ao fim. Candidatura do Sr Crivela e arrecadação de dinheiro para a igreja do mesmo. O Sr prefeito, Eduardo Paes, filhote do governador, só pensou nos votos e na futura aliança política. Ficou muito fácil, pedir desculpas. Primeiro foram as chuvas que alagaram o Rio. Ele pediu desculpas, pois o Rio não estava preparado e São Pedro foi o culpado. Agora, o mesmo, pede desculpas, pela falta de organização de suas secretarias, mas a culpa foi da igreja, que não repassou os dados corretamente. Como se esse fosse o primeiro evento que tal igreja realizou e ele não sabia o número de pessoas que poderiam comparecer. Sr Prefeito, o senhor poderia nos informar, o que tem feito sentado nessa cadeira ?


Rodolfo Porto enviou em 25/04/2010 as 02:23:
Imagine que em qualquer cidade do mundo um evento desses traz divisas para a cidade. Mas os vereadores são incapazes de fazer uma Lei que cobre uma taxa por cidadão que reúna em espaço público ou produza um filme que utilize imagem do Rio. É só cobrar! A população inteira paga para idiotas serem resgatados no mar, na floresta, nos acidentes de asa delta, nos acidentes de carros... Cobrem uma taxa de quem é resgatado de afogamento. Quero ver se as pessoas não se cuidarão melhor! Ou fariam esses megaeventos!...


Raquel Matos enviou em 25/04/2010 as 18:53:
A cidade do Rio de Janeiro é Pública e da "pobrerada" também! Ou será que a fala "direito para todos", são só palavras? Claro que falta de ordem não tem discussão..., mas crente não é sinônimo de pobreza, e a zona Sul não pertence a classe privilegiada que a ocupa, todo o Rio de Janeiro, estado e cidade, necessitam e tem direito ao transporte, SEGURANÇA, saúde, EDUCAÇÃO (que parece faltar em qualquer região do Estado), que mesmo os de classe média não a demonstram... e inclusive tem sua participação na criminalidade, provando que o berço não determina as escolhas infelizes dos "cidadãos". Mas os princípios sejam eles da denominação religiosa que for. O resgate Familiar é base para o começo de uma nova sociedade...para quem tem fé na palavra (Bíblia) diz assim, "o temor do Senhor é o princípio da sabedoria".


Marcelo Ribeiro enviou em 25/04/2010 as 22:43:
Espero que, caso haja no nosso estado mais um mega evento seja lá qual for a intenção e, venha trazer caos a cidade e atrapalhar trabalhadores e moradores que não sejam só da "Zona Sul ", seja também criticado pelos mesmos meios de comunicação que gostam de criticar qualquer evento evangélico. Não quero defender a instituição que realizou o evento (foi verdadeiramente um caos). Mas sim colocar em pauta que, existem outros eventos que, eu como trabalhador da "Zona Sul", me traz um grande problema para me locomover. Culpa da prefeitura???? Dos organizadores da instituição ???? daqueles comandados ???? Me respondam : Quais foram os culpados do caos em Copacabana quando os fogos trouxeram perigo para a população ????


Antonio Ricardo enviou em 26/04/2010 as 00:51:
O que vejo aqui nestes comentários é um grande desrespeito a constituição federal que proíbe a perseguição religiosa. Também vejo muita inverdade sendo dita como por exemplo: 1) QUE O EVENTO ERA POLÍTICO (mentira, era espiritual) 2) QUE PEDIRAM DINHEIRO (mentira a única coisa que foi arrecada no local foram os pedidos de oração). 3) Por outro lado até as passagens dos ônibus só pagou quem podia, quem não podia foi de graça. 4) A limpeza dos locais foi realizada pela juventude da IURD que se voluntariou para tal, inclusive gerando muita renda para os catadores de material reciclado que já pegavam o material ensacado. Poderia falar muito mais porém vou ficar por aqui para não gerar polêmica.


Jair enviou em 26/04/2010 as 02:23:
Bah!!! é dose ouvir tanta choradeira, no carnaval o Brasil inteiro vira um caos, acidentes e mortes esfaqueamentos, estupros, drogas, as emergências sem condições de atender, de tanta bagunça, no Rio, é triste o saldo pós carnaval, como em todo país, e vocês não falam nada, aí não tem crítica por parte de vocês, na virada de ano não é diferente, só criticam quando o evento é evangélico...puro preconceito...

« voltar  |  X topo
  AMAB 2017 - Todos os direitos reservados Web Design: Renato Faria